Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Logon

Notícia

Energisa faz 110 anos e muda a marca de empresas adquiridas no ano passado

A Energisa completa, em 26 de fevereiro, 110 anos como um dos maiores grupos privados do setor elétrico no Brasil, com atuação em 788 municípios em todas as regiões do país. São 13 distribuidoras de energia elétrica, que atendem a mais de 6,2 milhões de clientes – o que representa uma população de cerca de 16 milhões de pessoas. Com uma trajetória marcada pela eficiência e pelo crescimento sustentável, que colocou as concessionárias do Grupo entre as melhores de suas áreas de atuação, a Energisa torna-se a mais antiga companhia em atividade no setor de distribuição de energia no Brasil, mantendo o mesmo controle acionário desde a fundação do Grupo.

A companhia, fundada em 1905, cresceu por meio de fusões e aquisições a partir de 1910, ano em que teve início o processo de consolidação de diferentes companhias elétricas municipais limítrofes na Zona da Mata Mineira. Desde então, a história da Energisa é marcada pelo pioneirismo: foi umas das primeiras empresas a abrir capital na Bolsa de Valores no Brasil a conceder participação nos lucros entre seus funcionários. A companhia também foi uma das precursoras na retomada do desenvolvimento de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) modernas no Brasil, quando esta atividade estava ainda fechada à iniciativa privada, em 1972: iniciou os estudos da PCH Glória, no Rio Glória (MG), neste período, e concluiu a usina 11 anos depois.

A Energisa construiu a primeira termelétrica a gás natural do estado de Minas Gerais, e foi também uma das primeiras a introduzir automação para gerenciar redes de distribuição no Brasil e a desenvolver tecnologias avançadas para o combate a perdas.

Apesar de centenária, a empresa evoluiu com modernidade e eficiência, oferecendo formas inovadoras para facilitar a vida dos clientes, como o aplicativo Energisa On, por meio do qual o consumidor pode comunicar falta de luz ou problemas na rede elétrica, consultar histórico de consumo, acompanhar solicitações, entre outros. A Energisa possui também uma atuação consiste nas redes sociais (Facebook, Twitter e Youtube) voltada para o relacionamento com os consumidores, e é hoje a maior do setor elétrico em número de seguidores no Facebook, com cerca de 180 mil fãs.

"Construímos um grupo sólido, respeitado e inovador, que prioriza e valoriza, acima de tudo, a qualidade do serviço prestado a cada consumidor. Nossa história é marcada pelo pioneirismo, pela coragem, pelo respeito às pessoas e pela busca contínua pela excelência", afirma Ivan Botelho, presidente do Conselho de Administração do grupo.

Nesta mesma data, em 26 de fevereiro, as oito concessionárias de energia elétrica que pertenciam ao Grupo Rede Energia e que foram adquiridas no ano passado pela Energisa mudam de marca, em um movimento de reforço e consolidação da Energisa em todo o território nacional. Agora, a exemplo das outras cinco concessionárias da companhia no país, as empresas passam a carregar a marca da Energisa nos estados do Mato Grosso (ex-Cemat), Mato Grosso do Sul (ex-Enersul), Tocantins (ex-Celtins). As demais empresas que atuam no interior de São Paulo (Caiuá, Bragantina, Vale Paranapanema, Nacional) e do Paraná (Companhia Força e Luz do Oeste) também assumem a marca Energisa.

A mudança da marca ocorre quase um ano depois de a Energisa ter adquirido essas distribuidoras, em abril de 2014. A decisão foi baseada em uma profunda pesquisa realizada com consumidores nas novas regiões de atuação, com apoio de consultoria especializada. "Logo após a aquisição do Rede, iniciamos um trabalho cauteloso para decidir como trabalhar a nossa marca nas novas empresas. Como uni-las ao Grupo Energisa sem perder a identidade local? Como conduzir esse processo sem trazer impacto para o consumidor? As pesquisas locais ajudaram a entender todo este cenário", explica Luciana Teixeira, Gerente Corporativa de Comunicação e Marketing.

Neste processo, a Energisa, através da consultoria, levantou, por cerca de  quatro meses, informações nas novas regiões e traçou um diagnóstico de como posicionar a marca em cada distribuidora. O trabalho teve início com um conjunto de ações que incluiu pesquisa quantitativa realizada com centenas de consumidores distribuídos entre as áreas de concessão; entrevistas presenciais ou por telefone com líderes, executivos e stakeholders; análise de imagem pública; análise das pesquisas de satisfação disponíveis no segmento (Abradee/Aneel); e visitas de campo.  

A Energisa também realizou uma avaliação do mercado com empresas do setor elétrico no Brasil e no mundo, para entender como se posicionam e trabalham suas marcas. "Constatamos que, no país, a grande maioria adota nomes diversos, sem um padrão. Assim como a Energisa já fazia nas empresas que pertenciam ao Grupo, para fortalecer a marca e seu posicionamento no mercado, optamos por um nome único, buscando também a diferenciação. Queremos dar a essas empresas uma identidade única, mostrar que são todas integrantes de um grupo forte e sólido", afirma Luciana.

A trajetória de sucesso da Energisa

A Energisa tem na distribuição de energia elétrica a base principal de um negócio que faz história há mais de um século. Em 2014, a companhia concluiu a aquisição de oito empresas distribuidoras e uma geradora do Grupo Rede, alcançando uma nova dimensão em um mercado cada vez mais competitivo e exigente.

A recente expansão projetou a Energisa como sexto maior grupo em distribuição de energia elétrica no país em número de clientes e o sétimo em receita líquida (cerca de R$ 10 bilhões), sendo responsável pela geração de mais de 10 mil empregos diretos. A empresa passou a atender a uma área de concessão de 1.630 mil Km² (cerca de 20% do território nacional) e a distribuir 6,1% do consumo nacional de energia elétrica.

A história da Energisa é marcada pela ousadia planejada e pelo crescimento contínuo e sustentável. A aposta nas privatizações fez do período entre 1997 e 2001 outro marco: a Energisa expandiu em sete vezes suas operações, sem que abrisse mão da oferta de serviços com excelência. Durante este processo, as distribuidoras adquiridas tornaram-se eficientes e lucrativas, e estão hoje entre as melhores empresas das regiões onde atuam.

Abaixo, a evolução entre 2010 e 2014 de empresas mais antigas do Grupo:

EmpresaDEC (2010)DEC (2014)FEC (2010)FEC (2014)
Minas Gerais12,549,4613,076,49
Nova Friburgo13,486,4611,785,08
Paraíba29,2421,0115,969,82
Borborema13,598,239,915,79
Sergipe23,6115,7011,879,39

DEC: Duração Equivalente de Interrupção por unidade consumidora/FEC: Frequência Equivalente de Interrupção por unidade consumidora

As empresas adquiridas no ano passado também já apresentam evoluções. Os aportes financeiros realizados pela Energisa permitiram retomar investimentos relevantes em infraestrutura, automação, manutenção e ampliação da rede, entre outros. Essas iniciativas já refletem nos índices de qualidade do fornecimento de energia das distribuidoras, tendo a maioria já apresentado redução em 2014 - em menos de um ano - como pode ser verificado no quadro abaixo:

EmpresaDEC (2013)DEC (2014) FEC (2013)FEC (2014)
Energisa MS11,8512,877,547,26
 Energisa MT30,1127,9923,4720,6
 Energisa TO38,7833,1317,7214,35
Bragantina13,3611,410,37,97
Caiuá8,39,088,877,78
Nacional8,686,8311,429,4
Vale Paranapanema5,886,455,525,57
Força e Luz do Oeste5,645,615,315,49

DEC: Duração Equivalente de Interrupção por unidade consumidora/ FEC: Frequência Equivalente de Interrupção por unidade consumidora

 

Uma história marcada pelo empreendedorismo

A Companhia Força e Luz Cataguazes-Leopoldina, que deu origem à Energisa, é fruto da visão e competência de empreendedores ao longo de quatro gerações. A empresa foi fundada pelos mineiros José Monteiro Ribeiro Junqueira, João Duarte Ferreira e Norberto Custódio Ferreira, que buscavam alternativas econômicas ao declínio da monocultura cafeeira após a crise vivida no Brasil no início do século XX. Com sede em Cataguases, na Zona da Mata (MG), a companhia iniciava ali uma trajetória de sucesso, marcada pelo contínuo investimento em inovação e qualidade e pelo cuidado com as pessoas.

"O papel dos acionistas, do conselho e da administração das empresas é provocar uma cultura que constantemente questiona o status quo e as prioridades, e que continuamente aprende e se adapta. Uma empresa centenária tem que ser capaz de se reinventar e renovar sempre. Com determinação e perseverança é possível adotar uma visão de longo prazo bem sucedida, mesmo que, sob o olhar externo, possa parecer uma condição quase impossível" comenta Ivan Botelho.

A empresa vem cumprindo esta receita desde a sua fundação, tendo sido pioneira em inúmeras práticas. "Um dos grandes perigos de um negócio é a incapacidade de fazer mudanças e de tomar decisões com agilidade. Na Energisa, estamos sempre insatisfeitos com desempenho passado, e isso ajuda explicar a razão da nossa longevidade e dos bons resultados que alcançamos em nossa trajetória" afirma Ricardo Botelho, presidente do Grupo Energisa, acrescentando que as empresas que permanecem sólidas no mercado têm características comuns à Energisa: foco permanente nos clientes, alinhamento de interesse entre funcionários e acionistas e o cultivo de valores permanentes.

Compartilhe nas redes sociais